segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pastilhas, Comprimidos e outras viagens II

No dia seguinte acordei cedo. Era dia de trabalho e lá tinha eu que cumprir com as minhas obrigações... Sentia como se em vez da cabeça, tivesse uma enorme abóbora colocada em cima do pescoço, e como se tivesse estado toda a noite a beber um qualquer Whisky barato com a respectiva ressaca e a falta de equilibro subconsequente.

Não me lembro de ter tido um dia de trabalho mais comprido... Sentia-me realmente mal. Mas à medida que passavam as horas, ia-me sentindo um pouco melhor. Lembro-me distintamente de sentir as tonturas e os calores num incessante vai-vem ao longo de todo o dia, mas não dei parte fraca, e a "reganha dentes" lá aguentei estoicamente toda a jornada de trabalho.

Estes efeitos secundários acompanharam-me durante vários dias, creio até que semanas, sempre em decrescendo. Actualmente ainda me visitam de vez em quando, mas vou aprendendo artimanhas para evitar tão desagradáveis visitas. Por exemplo, sei que se tomar a medicação com o estômago cheio é mais provável que sinta estes efeitos, por isso, sempre que posso janto mais cedo e assim evito sentir-me mal após tomar a medicação.

Outra coisa são os sonhos... Esses não há como evitá-los. Desde sempre tive uma relação especial com o mundo dos sonhos. Lembro-me de sonhar de criança com coisas que, mais dia menos dia, acabavam por acontecer. Mais tarde, após conhecer a dor da perda de alguém próximo, lembro-me de em sonhos poder conversar com esses seres queridos. Normalmente ao acordar esquecia-me de partes ou por vezes da totalidade dos meus sonhos. Hoje isso não acontece. Mais do que sonhar, de tão vivos que os sinto, os meus sonhos são experiências. Umas vezes agradáveis, outras nem tanto, mas sempre experiências. Não se pode dizer que "de vida", mas experiências muitas vezes repletas de espiritualidade e sensações reais, de presenças e interacções com muita gente; conhecida ou não, que está viva ou não... É como se por fim me apercebesse que pertenço a uma rede de pessoas, ou será de almas, que podem trabalhar em conjunto por objectivos em comum... Para interferir ajudando espiritualmente muitos outros que necessitam essa ajuda. Em conversa com um grande amigo, seguidor da corrente Espírita, fiquei bastante elucidado a respeito destas experiências. Não peço que ninguém compreenda esta parte do meu relato, até porque se poderia perfeitamente dizer que alguém que toma um comprimido que logo de entrada se chama Atripla, está sujeito a divagar pelo "sem sentido", mas sinto que se aproxima a hora de aprofundar um pouco sobre estes assuntos e partilhar a minha visão pessoal sobre as questões da espiritualidade.

19 comentários:

R. Rudoisxis disse...

Olá Zé Alguém
Li com interesse o teu texto, fez-me sorrir e lembrar velhos tempos, os pesadelos e os sonhos.
Nunca tomei o Atripla mas apenas um dos seus componentes que provoca esses sintomas que tão bem descreves. Esse medicamento é o Efavirenz de nome comercial Stocrin.
Tive de deixar de o tomar não pelos sonhos mas porque me destruiu o figado o que me levou a um internamento hospitalar. É um bom medicamento no combate ao HIV e se não conseguires suportar os sintomas há alternativas que não te prejudicam. Boa sorte e lembra-te que o importante é manteres a carga viral suprimida e o sistema imunitário em alta. Acidentes de percurso de um infectado. Estômago vazio e jantarinho sem gorduras fazem a diferença na diminuição dos sonhos para uns pesadelos para outros. Um abraço

sideny disse...

Olá

Li estes dois postes com atençâo.

O que o Raul diz é verdade , ele sabe melhor que ninguém.

Bem eu estou mais 6 meses sem medicaçâo, e já lá vâo 11 anos

tive ontem a fazer contas com o médico.

Ha-de chegar o dia que lá tera que ser.
abraço

Zé Ninguém disse...

Olá Raúl. Quem bom ver-te por aqui mais uma vez!
Esta semana tenho de ir fazer analises para a revisão de rotina, veremos se continua tudo bem como até agora. Esperemos que sim. Eu encaro a medicação com filosofia, já que os efeitos secundários não são nada que não se aguente, e sempre é uma arma que não descarto por enquanto, já que o arsenal é algo limitado.
Veremos o que o futuro nos reserva. Entretanto, cá continuo a disfrutar as minhas viagens à borla pelo mundo da fantasia e/ou espíritos. LOL
Um abrço e volta sempre!

Zé Ninguém disse...

Olá Sidney,
Fico feliz por tantos anos e ainda sem medicação! Isso é que é dar luta ao bichinho! De qualquer maneira sabes que não há motivo para temores, quando chegar o dia, que espero seja daqui a muito tempo. Afinal o que são uns sonhos raros se nos mantém a carga viral controlada?
Um abraço

sideny disse...

eheheheh

Achei graça ao que o Raul lhe chamou Zé Alguém.

E ele têm razâo.

Quanto a mim , espero que sim que sejam mais uns anitos, logo se vê.

Quando tiver que tomar a medicaçâo que remedio, nâo sou mais que os outros.
beijinhos

Zé Ninguém disse...

Hahahaha nem tinha notado. LOL

M disse...

Allo
Regressada dos dias azuis, só me apetece matar qualquer coisa. Que não seja alguém claro. Já te tinha lido neste post, por lá, e desde o dia 14 para hoje espero que te estejas a sentir melhor.Não faço ideia se o corpo cria habituação mas penso que sim. Ou o desgraçado do Raul tava uma marioneta e eu podia fazer dele o que quisesse. Mas da última vez que o vi estava um espécime em boas condições e a recomendar-se. É por ver pessoas como ele que tenho sempre esperança a transmitir a quem me aparece assustado com o VIH. Esta semana, em conversa com um jovem de 18 anos, apercebi-me que ainda há muito a fazer e esse papel compete-vos. Quanto mais blogs, mais informação a ser encontrada nos motores de busca e mais desmistificação vocês semeiam. Porque a ignorância sobre a sida ainda é tanta, como o pude comprovar. As tuas experiências sÃO muito valiosas Zé (para o raio que o parta com o Ninguém).´Estás oficialmente "comprometido" com a sociedade a entrares no papel de esclarecer e ajudar a conhecer melhor este virus e as suas implicações na vida de todos.

R. Rudoisxis disse...

Zé(Raios que te partam com o Ninguém)
O Arsenal Retroviral ou o Armamentário para combater o virus já não é tão limitado assim.Já nos permitimos fazer algumas escolhas, para pouparmos outros orgãos aos efeitos da medicação.Mas não convém queimar opções que podem vir a fazer falta no futuro.
Eu por exemplo ainda mantenho a primeira linha nos ITRrs e dou-me bem com ela.
Tenho é tido problemas primeiro com um IP e depois com um NNITR, precisamente o EFV, ou seja o tal dos sonhos esquisitos, pesadelos e perda de concentração.
Tá aqui uma equipa de comentadores de peso, estou a gostar.
Olha se a linguagem for muito técnica diz que eu descodifico.
A M. no seu comentário fez um autoretrato de mim mesmo, portanto podes aperceber-te que o HIV não assim uma tão grande m..da, como muitos pensam. Um beijo para ela.
A danada da Sideny, anda com um miufo do caraças da medicação mas ainda vai demorar uma tempaça sem medicação. O medo actual dela é devido a um pico qualquer na CV.
Isto se ela não andou a fazer asneiras eheh, o que penso que não, pois ela é uma menina muito bem comportada. Um beijo para ela também?
Queres um beijo também carissimo Zé
Alguém?
Até podia ser, mas fica-te lá com um abraço, levanta a cabeça e caminha em frente.

Biby disse...

Olá Zé! Descobri o teu blog através do Sidadania.
Eu sou a BIBY do blog das casas de bonecas mas sou tambem psicologa com mestrado em Infecção VIH/SIDA.
Os efeitos secundários da TARV tendem a atenuar com o tempo mas se se mantiverem terás que trocar de medicação. Contudo levando as coisas certinhas os CD4 mantem-se altos e a carga virica suprimida!

Desejo-te muita força e parabens pela partilha da vivencia do VIH. Pessoas como tu e o Raul ajudam a desmistifcar a doença e preveni-la!

Beijinhos
BIBY

sideny disse...

Olá Ze( alguém)

Pois miaufa nâo tenho como diz o Raul.

So um receozito mais nada.eheeh

è verdade o meu animal de estimaçâo subiu um pouco mais para o meu gosto.
Vamos ver p´ro ano!
beij

Zé Ninguém disse...

Ena! que animado que isto está!... Fica um gaijo sem computador porque este decide pifar durante uns dias, e tenho esta grata surpresa!!! Já me animaram o fim-de-semana!
Vamos tentar responder por ordem:
M, o bom acaba depressa, nao é? Mas dá-te por satisfeita... Eu conheço um (cof, cof) que nao tem férias há uns 4 anos.Quanto a sentir-me melhor, tudo sobre rodas (sem trocadilho intencionado, já que o pastilhao nem sequer é redondo...) Foram sobretudo os primeiros 2 meses, mas actualmente (vamos já com pelos 9 meses de medicaçao) já nao há quase sinais do que foram os inicios. Exceptuando alguma noite mais psicadélica, mas aprendi a disfrutar com isso. Quanto ao compromisso, é meu objectivo desde que iniciei o blog. Exactamente por saber a lacuna que há nas mentes da populaçao sobre este assunto, sinto que tenho um trabalho a desenvolver, e aproveito para poupar no psicanalista, hehehe.
Raúl,
Eu ainda nao domino a linguagem dos veteranos, hehehehe. Sei o que significam algumas das siglas, mas ignoro outras. Além disso, lembra-te que aqui em Espanha há uma praga de Espanhóis (que sao cada vez menos, estamos a começar a domesticá-los) que teimam em "Espanholizar" tudo, incluidos os nomes dos medicamentos e de alguma da terminologia cientifica. É uma seca! Ponho como exemplo o nome do Efevirenz aqui é Sustiva e nao Stocrin. Mania de serem diferentes! heehhe
Quanto ao arsenal, de momento tem funcionado. Vamos a ver no proximo dia 2 como andam as coisas... eu depois conto-te. Nao te acanhes com os beijos e/ou abraços. Um beijo é sinal de proximidade, e afinal, somos irmaos de sangue, nao? E um abraço é um contacto íntimo entre os shakras de duas pessoas, por isso, bem-vindo seja!
Sidney, de receios nada que como muito poe-te grogue e ainda por cima à borla! Há que aproveitar!
Saca de chibata e domestica lá o bicho mais uma temporada! só uma pregunta: "p'ró ano"? Com que frequencia te fazem exames?
Beijos e Abraços à melhor equipa de comentadores de toda a blogosfera!
Zé (que também nao é o meu nome, por isso o Ninguém como apelido nem chateia nem nada)

Zé Ninguém disse...

Biby,
Seja muito bem-vinda! Espero que se entretenha a ler e comentar este humilde espaço. Sinta-se à vontade.
Como disse mais acima, este relato tem um desfase de uns 9 meses, por isso, transcorrido este tempo, já os efeitos secundários se foram tornando mais amenos e familiares.
Eu e o Raúl temos formas diferentes de partilhar o que sentimos e pensamos. Ele é todo um artista literário, eu, pragmático como cientista que sou, limito-me a relatar experiencias vividas tal e como as senti. Mas fico feliz se isso ajudar a desmistificar o HIV/SIDA e a contribuir para informar quem necessite.
Um beijinho grande,

sideny disse...

Olá Zé

Sou seguida de 6 em 6 meses, como tal até p´ro ano hospital.

bej

:))

M disse...

Ah foi avaria no pc. Uffa, que eu já pensava o pior, como uma dose exagerada da tripla e que andasses numa viagem a três capítulos. Agora já não tens desculpa, toca a escrever o take seguinte.

Não demores porque me esqueço de vir e depois não sabes ondo moro :)

beijinhos e abracinhos também

M.

M disse...

não tens férias há 4 anos? hei lah, isso é para eu ficar com a alma cheia de peninha? bem... e fins de semana e feriados tens? e pontes? e noitadas a navegar pelo rio?

eu também não...

beijinhos e abracinhos

Zé Ninguém disse...

Sidney, na realidade é uma seca andar a correr para o hospital cada 3 ou 4 meses como eu desde há um ano, sobretudo quando para lá ir tenho de fazer 300Km como foi o caso de Maio e deste mês. Mas da próxima já nao vai ser tao longe. Vem aí a segunda mudança em menos de 6 meses... ui, ui.
M, nao sei onde moras nem onde escreves, nem sequer vejo o teu perfil. Que mazinha... Ai queres ser misteriosa e que eu seja um livro aberto?? Aplicarei o ditado español que diz: "lo bueno, si poco, dos veces bueno"... Nao tenhas peninha de nao ter férias, será porque nao as mereço... Mas quando as tiver vou gozá-las com tanta vontade que me vao saber a paraíso!
Beijinhos e Abraços,

M disse...

exactly caro zé nobody. O M é de mistério. onde escrevo? escrevo por todo o lado, basta que procures. Tenho os espaços fechados por causa dos extraterrestres mauzinhos. Um dia deixo-te entrar se te portares bem.

Vamos lá às noticias novas então. Seja espiritualidade ou outra coisa. Desde que te ponha os dedos a mexer

beijinhos e abraços

Anónimo disse...

ola genter ...que bom encontrar relatos na web que de certa forma me deixam mais tranquilo ... comecei a tomar o efavirenz esta semana e fiquei bem assustado com os sintomas , estou muito tonto , sonolento e minha visão desfocada , me incomodo muito com isso , o que me fez pedir ferias do trabalho , será que isto passa logo ? a visão desfocada é normal ? um grande abraço a vocês ..podem me chamar de MAC.

Zé Ninguém disse...

Caro MAC,

Sei que é imperdoável da minha parte, mas só agora vi o comentario. 2 meses depois, espero que já se tenha acostumado um pouco ao veneno. Existem varios efeitos secundários sobretudo no inicio de uma terapia anti-retroviral, mas a tendencia destes é de irem diminuindo com o tempo. De todas as formas, aproveite a próxima visita ao médico especialista para lhe referir esses efeitos que sentiu, para que o possa remeter a alguma outra especialidade caso seja necessário.
Um abraço enorme cheio de força e de coragem!...